Os 9 melhores provedores de VPN testados

VPN está se tornando cada vez mais popular. Você não apenas impede que alguém veja exatamente o que você faz online, mas também faz um excelente trabalho de contornar bloqueios de, por exemplo, Netflix ou Hulu. Fizemos uma seleção de 9 serviços VPN populares e testamos o quão bons eles realmente são.

Usar uma VPN (Rede Privada Virtual) tem várias vantagens. Originalmente, as conexões VPN eram usadas principalmente para proteger a troca de dados. Todos os pacotes são criptografados de um lado e descriptografados do outro, de modo que os dados não valem nada se alguém puder espionar a conexão. Isso continua sendo ideal para aplicativos essenciais aos negócios. Leia também: O que é VPN?

Hoje em dia, também está se tornando indispensável que os particulares escapem dos olhares indiscretos de várias agências e serviços. E então você nem precisa fazer nada muito secreto ou perigoso para o estado. Executar um serviço VPN quase permanentemente é uma ótima maneira de evitar espionagem desnecessária.

Como funciona?

Um aplicativo, por exemplo, um navegador da web, deseja enviar ou receber dados pela rede. Eles não são enviados por meio de seu adaptador de rede padrão, mas entregues a um adaptador de rede virtual, que primeiro envia os dados, por exemplo, para o software OpenVPN. Lá, os dados são criptografados, fornecidos com um novo endereço de entrega e, em seguida, encaminhados por meio do adaptador virtual para o adaptador de rede real. O tráfego criptografado é enviado através de seu roteador de Internet para seu provedor de Internet, que entrega os pacotes de dados pela Internet ao destino final - neste caso, o provedor de VPN. Isso descriptografa os dados e os envia ao destino final.

Geo-blocos

Também existem serviços que usam blocos geográficos. Por exemplo, serviços de streaming como Netflix ou Hulu. Esses serviços adaptam sua oferta à região onde os usuários estão localizados. Por um lado, trata-se de direitos autorais sobre os filmes e séries oferecidos, mas também é um meio comprovado de adequar a promoção do conteúdo ao grupo de usuários. Uma VPN pode ajudar a contornar esses bloqueios, porque seu computador recebe o endereço IP do chamado endpoint da VPN. Isso também é conhecido como nó de saída.

Por exemplo, se estiver nos Estados Unidos, você estará visível por meio de um endereço IP na América. Todos os serviços VPN oferecem aos usuários a oportunidade de determinar a si próprios por meio de qual servidor eles estão visíveis na Internet. Desta forma, canais de televisão locais como a BBC podem ser vistos através do iPlayer. Além disso, os provedores de VPN oferecem servidores DNS alternativos. Esses servidores DNS traduzem nomes de computador em endereços IP e sua operação depende da área em que estão localizados.

Tecnico

De uma perspectiva técnica, quase todos os serviços VPN funcionam com as mesmas técnicas VPN. Isso diz respeito ao protocolo com o qual os dados são criptografados e ao sistema com o qual os dados são enviados pela Internet. Na prática, o padrão é OpenVPN, um protocolo de código aberto para o qual existem vários softwares. Outros protocolos populares são PPTP e IPSEC. O primeiro é um protocolo um tanto desatualizado que não oferece muita proteção contra espionagem, mas é muito eficiente e amplamente suportado. O segundo é usado principalmente para redes corporativas e pode usar diferentes sistemas de criptografia para que os dados sejam criptografados de forma confiável. É menos adequado para uso doméstico.

Encontramos a possibilidade de criptografar duas vezes o tráfego com vários provedores. Isso não parece muito prático, mas é uma maneira eficiente de evitar que os firewalls detectem que uma conexão VPN foi estabelecida. Isso é útil se uma conexão com a Internet for restrita por um firewall ou se houver motivos para acreditar que o tráfego está sendo filtrado, algo que é usado em alguns países para impedir que toda a Internet seja alcançável.

O teste

Em nosso teste, selecionamos os provedores de VPN mais populares. Como pode haver vários motivos para usar uma VPN, prestamos atenção aos provedores de VPN que oferecem suporte a diferentes protocolos durante a seleção. Além disso, eles devem ter pelo menos servidores na Holanda e nos Estados Unidos, porque essas são as áreas que a maioria dos usuários procura. Durante o teste, prestámos atenção à implementação técnica, ao software utilizado, à simplicidade de instalação e claro, à segurança. Como a maioria dos provedores trabalha com a mesma tecnologia, vemos apenas pequenas diferenças. Por fim, testamos o desempenho testando uma conexão por meio de uma conexão normal de internet e mergulhamos no data center para medir a capacidade total usando conexões de internet super-rápidas.

Você pode encontrar todas as opiniões individuais dos diferentes fornecedores na tabela.

Quem está ouvindo?

Um dos principais argumentos para usar uma VPN é o medo de que alguém esteja observando suas transações na internet. Todas as revelações do WikiLeaks e de Edward Snowden alertaram as pessoas sobre as possibilidades dos serviços de investigação e, claro, estão tentando se proteger contra isso. É por isso que todos os provedores de VPN fazem a triagem com sua política de 'não registro', para que o governo nunca possa ver quais dados você solicitou. Isso parece bom, mas é claro que ninguém vê o que está realmente armazenado e você não pode controlá-lo. Portanto, verifique cuidadosamente as condições para usar a conexão VPN. Isso geralmente descreve a política quando os serviços do governo solicitam seus dados.

Cuidado com o pagamento

Você pode pagar facilmente por quase todos os serviços com cartão de crédito ou PayPal. Observe que você costuma entrar em uma relação de pagamento automático. Caso não cancele, o contrato será prorrogado todos os meses e o valor do mês será debitado. Felizmente, você pode cancelar isso mensalmente com todos os serviços, mas você mesmo deve fazer isso.

Como testamos

Testar as conexões VPN é uma tarefa árdua. Portanto, examinamos vários fatores diferentes em nossa ponderação. Em primeiro lugar, a experiência do usuário é muito importante. Portanto, instalamos e testamos todos os clientes. Todos eles funcionam da mesma forma, mas alguns são mais intuitivos do que outros. Também analisamos o desempenho. Por meio das ferramentas disponíveis, realizamos testes de largura de banda entre um servidor na Internet e um PC cliente. Realizamos este teste em uma conexão de cabo normal e no data center Redbee em Amsterdã. Lá nós temos acesso a uma conexão de 1 Gbit, então também podemos ver como o serviço funciona quando um pouco de largura de banda é necessária. Por fim, examinamos as técnicas usadas e as informações comerciais subjacentes. Não discutimos todos os serviços testados em mais detalhes, abaixo você encontrará os serviços VPN mais interessantes ou diferentes.

1. AirVPN

AirVPN ocupa uma posição dominante no cenário de conexão segura. A internet está fervilhando de críticas elogiosas, principalmente devido à integridade do serviço. AirVPN tem seu próprio software para Linux, Mac e Windows, mas outras plataformas também são suportadas porque o software OpenVPN está disponível para elas. Existem clientes para Android, iOS e ainda é possível instalar o software VPN em vários roteadores de internet. Você tem que ajustar o firmware do seu roteador para isso, mas a partir desse momento todos os computadores conectados estarão protegidos.

AirVPN não apenas suporta a conexão OpenVPN usual, mas também é possível usar OpenVPN através de um protocolo de criptografia diferente, SSH ou SSL. A teoria por trás disso é que a dupla camada de criptografia fornece proteção contra DPI (Deep Packet Inspection, uma técnica que alguns governos usam para espionar até mesmo o tráfego criptografado).

Uma das possibilidades do AirVPN é configurar o 'encaminhamento de porta remota'. Isso permite que outros usuários acessem seu computador. É uma configuração útil para alguns protocolos, por exemplo, bittorrent. Se procura um fornecedor com uma vasta selecção de clientes ou se procura uma solução que possa programar no seu router de Internet, o AirVPN é a melhor escolha.

2. BlackVPN

As pessoas por trás do BlackVPN decidiram em 2012 mudar seus negócios dos Estados Unidos para Hong Kong. Inspirados pelo trabalho dos fundadores do The Pirate Bay e pelas revelações de Edward Snowden, eles temiam que o governo dos Estados Unidos impusesse regras sobre a espionagem no trânsito. Ao realocar sua empresa para Hong Kong, eles esperam evitar esse tipo de regulamentação, já que Hong Kong é conhecido como o campeão da proteção à privacidade.

Para configurar uma VPN via BlackVPN, um usuário pode escolher entre OpenVPN, IPSEC sobre L2TP e PPTP. A segunda opção é integrada ao Windows e OS X e, portanto, fácil de configurar. O suporte para PPTP é notável, porque esse protocolo tem uma série de riscos de segurança, que você deseja evitar por meio de uma conexão VPN. BlackVPN não possui cliente próprio, mas fornece licença gratuita para o excelente Viscosity. O site também sugere um bom número de clientes e também tem documentação decente sobre como configurá-los. Um ótimo extra que o BlackVPN oferece é o roteador VPN, um roteador de internet totalmente equipado para enviar todo o seu tráfego de internet através de uma conexão VPN. Isso evita que o software seja instalado em seu computador. O roteador VPN é um Cisco E1550 com firmware personalizado, você pode solicitá-lo através do site.

BlackVPN oferece pacotes com preços diferentes. Existem pacotes especiais para usuários que desejam apenas assistir TV, para usuários que buscam principalmente privacidade, mas é claro que também existe um pacote 'Global' que inclui todas as funcionalidades. Se você está interessado no roteador pronto ou se deseja pagar apenas por conteúdo de streaming, BlackVPN vale a pena. Porém, não é o mais barato no teste e a falta de cliente próprio pode ser uma objeção.

3. CactusVPN

A CactusVPN é uma empresa que se concentra principalmente em contornar geoblocos. Além de oferecer serviços VPN baseados em OpenVPN, a CactusVPN oferece o chamado serviço SmartDNS. O SmartDNS substitui as configurações de DNS em seu computador de forma que, para alguns sites, seu computador pode parecer estar em um país diferente. O SmartDNS pode ser usado em combinação com uma VPN, mas em termos de funcionalidade também funciona sem VPN. A vantagem disso é que sobra um pouco mais de largura de banda para vídeo, por exemplo, mas a conexão obviamente não é criptografada.

O CactusVPN pode ser usado com um cliente OpenVPN padrão, mas a empresa também lançou seu próprio software para Mac, Windows, Android e iOS. Além do OpenVPN, os protocolos VPN mais comuns são suportados. CactusVPN também tem suporte para SoftEther, uma alternativa ao OpenVPN que torna mais fácil configurar uma VPN atrás de uma conexão onde apenas o tráfego da web é permitido.

A empresa por trás do CactusVPN está registrada na Moldávia. Não é exatamente um defensor atraente da privacidade e também não é membro da UE, mas os servidores estão instalados em quatro países diferentes, incluindo a Holanda. CactusVPN é um dos provedores mais baratos no teste, mas também tem um número limitado de áreas onde os servidores estão localizados. Se você está procurando o menor preço, o serviço CactusVPN é a melhor escolha.

Postagens recentes